sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Frase do dia

"O poder é como o violino: pega-se com a esquerda e toca-se com a direita." Roberto "Bob Fields" Campos

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Macacos me espanquem!!!!

Na China, macacos de exibição atacaram o próprio dono quando
este agrediu um deles após o animal cair da bicicleta
em que estava se exibindo
Crédito: Daily Telegraph

O Brasil ainda tem jeito

Leiam a notícia abaixo e saberão por quê:

Agricultor de SC devolve R$ 20 mil encontrados em casaco doado

Uma menina de 5 anos, moradora de Ilhota (SC), uma das cidades mais atingidas pelas fortes chuvas que atingiram o estado em novembro, encontrou R$ 20 mil escondidos na manga de um casaco de couro e pele. A família dela recebeu o casaco como doação, depois de perder a casa em que morava. A criança brincava com a peça quando teve a surpresa.
O avô da menina, Daniel Manoel da Silva, de 58 anos, resolveu devolver o dinheiro e foi atrás do doador, que seria morador de Concórdia (SC). "Se o dinheiro fosse entregue nas minhas mãos, teria aceitado com certeza, pois agora precisamos. Mas é uma questão de criação, fui educado assim e estou com a consciência limpa", disse ele, que recebeu R$ 1 mil pela honestidade.

Segundo reportagem do "Jornal de Santa Catarina", o agricultor plantava cana e fabricava cachaça artesanal. Ele disse que a família não se interessou pelo casaco por achar que era "muito fino" e, por isso, a peça seria repassada a outras vítimas de enchentes e deslizamentos no estado.

No mês passado, a casa da família de Silva foi encoberta pela lama e cinco pessoas morreram soterradas.

Crédito: Gazeta on line
Observação: Não sou de copiar notícias de sites ou de blogs alheios, pois como disse anteriormente, sou muito inteligente e criativo para isso. Mas mesmo os grandes precisam ter a humildade de reconhecer que bons exemplos devem estar ao alcance da vista de todos. Daí o copy and paste descarado.

Haja saco...

11:50. Projeto atrasado. Chefe lançando perdigotos na nuca.

Como pouca merda é bobagem, tem um carro de som com um imbecil gritando para o Centro inteiro ouvir:

NÃO!NÃO! NÃO! À PRIVATIZAÇÃO!

Trata-se segundo alguns mais informados, de um protesto do MST contra a décima rodada dos leilões da ANP.

Peraí! O que uma entidade que cuida de questões relativas à reforma agrária está fazendo aqui protestando contra leilão de petróleo? Essa galera não era para estar armando suas barracas de plástico preto em algum latifúndio improdutivo? O que sabem sobre petróleo? Aliás, será que sabem o que é petróleo?

Como diz o amigo Ogro: SÓ NA MADEIRADA!

Adendo: acabo de ser informado que não era o MST. Era um protesto de torcedores do América-RJ contra a queda do time para a segunda divisão do campeonato carioca.

Eu tiro é onda...

19:30 de ontem. Em um dos vagões de uma composição para Japeri, estava um ambulante berrando:

SÓ NA MINHA MÃO! SÓ NA MINHA MÃO! COPO DE CERVEJA COM LUZINHA PISCA PISCA! EM QUALQUER LUGAR VOCÊ ENCONTRA POR TREZE E CINQUENTA! NA MINHA MÃO, UM É DEZ E DOIS É QUINZE! PRA VOCÊ TIRAR AQUELA ONDA NO ANO NOVO!

Daí surge a pergunta inevitável: quem é capaz de pensar que vai tirar onda no ano-novo usando um copo de cerveja com leds piscantes. Já imagino a cena: "Aí gata! Gostou das luzinhas do meu copo de suco de cevada?"

Só se for tirar onda de otário...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Coisas do Brasil

Depois de ter andado quase toda a Av. Rio Branco - trabalho em frente à Candelária - para encontrar uma agência do HSBC - que fica perto do Amarelinho da Cinelândia - sou recebido com um cartaz enorme dizendo:

"O MAIOR BANCO DO MUNDO"

Me pergunto: como pode o maior banco do mundo possuir uma única mísera agência no local mais movimentado do Rio - talvez do Brasil?

Enfim, coisas do Brasil...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Sapatos voadores

Acabo de ser informado, por fonte segura, que a pessoa que atirou um sapato em cima do quase ex-presidente George W. Bush, a exemplo de um indivíduo que atirou uma torta na cara do ex-presidente nacional do PT, José Genoíno, durante o Fórum Social Mundial de 2003, pertence a uma ONG chamada "Sapateiros sem fronteiras".

Frase do dia

"Não existe mulher feia. É você que não entende merda nenhuma de photoshop". Me moi.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Mussum. Inesquecível.

"Sucesso é igual cachorro correndo atrás de pneu de caminhão. Enquanto o caminhão tá andando, o cachorro tá correndo. Quando o caminhão pára no sinal e o cachorro alcança o pneu, não sabe o que fazer com ele."

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Frase (brilhante) do dia

"Eu fui o primeiro homem na Lua. Michael Phelps é o primeiro homem em Marte". Mark Spitz.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Doeu mais em mim do que em vocês

Já virou rotina. O Galo veio ciscar no nosso gramado e tomou três pedradas na crista. Só não foi pior porque ele comçou dando uma bicada assustadora.

Começamos com um Botafogo sonolento em campo e envolvido pelos toques rápidos de um galo assanhado, liderado pelo sérvio Petkovic, que aos 36 anos demonstra que sua habilidade e precisão ainda estão intactas, apesar da idade. O mesmo Petkovic que aos 16 do 1º faria um belo lançamento para Jael, que cruzou para Marques, enquanto nossa defesa fazia uma inacreditavelmente ingênua linha de impedimento. 1 a 0 para eles.

Essa pinicada fez com que a a cachorrada acordasse e buscasse mais jogo, embora de forma desordenada, com muitos passes errados. Mas todos sabemos que o Galo não tinha condições de aproveitar essa vantagem inicial pelo fato de ser uma equipe limitada e altamente dependente de apenas um jogador - Petkovic.

Aos 18 do 1º, Zé Carlos, de falta, acerta uma bomba na estaca esquerda. Mas permanecíamos errando muitos passes e sem criação no meio - que falta faz o Lúcio Flávio! O jogo estava sendo muito mais na vontade do que na técnica. E assim foi mantendo até aos 46 do 1º, quando Fábio sofreu uma falta em cima da linha da grande área. Dali, para o predador (do filme) Carlos Alberto, era quase um pênalti. E foi. Um chute colocado no ângulo direito do Edson. Tudo igual!!!

No segundo, tudo como dantes no quartel de abrantes. Aquele joguinho meia-boca com o Botafogo errando passes absurdamente, e com um Galo incapaz de converter esses passes errados em boas jogadas. Como estávamos sem ataque - Gil estava inoperante, e Fábio abusou demais do individualismo, além de errar passes bisonhos - tudo que Ney Franco pôde fazer foi improvisar, colocando Lucas como um meia-atacante no lugar de Fábio e o zagueiro Eduardo como volante, além de Túlio Souza, que inicialmente substituiu Túlio como volante, na lateral.

O resultado foi um pouco mais de movimentação e uma forte marcação no quadrado do Galo, que resultou em um belo passe de Lucas para que Eduardo com calma, colocasse por cima do goleiro Edson. 2 a 1.

Mas ainda tinha mais. Aos 47 do segundo, Gil cruza para o Predador, que em uma jogada individual marca o terceiro de canhota.

E mais uma vez, fiquei feliz e triste. Feliz pela vitória da cachorrada. Mas triste pos ter sido em cima do meu primo lá de minas. E justamente no ano do centenário.

Mas vejam pelo lado bom: pelo menos o pessoal do terreiro já tava consciente de que esse ano não seria dos melhores. Poderia ser pior. Afinal quem não se lembra o que aconteceu com o urubu em 1995?

NOTA: Excelente partida de Lucas. Lúcio Flávio que se cuide.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Se não fosse Dona Chiquitota...

"O Itamar tem um clube de football na rua Martins Ferreira. Vamos fundar outro no Largo dos Leões? Podemos falar aos Werneck, ao Arthur César, ao Vicente e ao Jacques"

De situações simples surgem coisas grandiosas.

Assim começou, em uma troca de bilhetes entre dois meninos em uma sala de aula, durante uma aula chata de álgebra, a ser escrita uma das mais belas páginas da história esportiva do mundo, e que nunca se desvaneceu, passados 104 anos.

Os dois moleques se chamavam Flávio Ramos e Emmanuel Sodré. Flávio da Silva Ramos, de tradicional família portuguesa, era filho de ninguém menos que o poeta português José Júlio da Silva Ramos, membro fundador da Academia Brasileira de Letras. Emmanuel de Almeida Sodré, de tradicional família paraense, era irmão do futuro craque alvinegro e, posteriormente, almirante da Marinha de Guerra - Benjamin Sodré - levando as cores do Glorioso para mares distantes.

Numa tarde de sexta-feira, há 104 anos atrás, alguns meninos que apenas buscavam uma distração para os fins de semana reuniram-se em um velho casarão na esquina da rua Humaitá com o Largo dos Leões - onde fica atualmente a Cobal do Humaitá - para oficializar a fundação do clube.

Agora que não saio da Cobal mesmo... mas continuemos.

Tudo formalizado. Foi escolhida a cor dos uniformes - sugestão de Itamar Tavares, inspirado na Juventus de Turim e aprovado por unanimidade - listras verticais em preto e branco, bem condizente com o sentimento que despertamos: amor ou ódio.

Mas faltava um detalhe: Qual seria o nome do clube? Inusitadamente, como muita coisa nesses riquíssimos 104 anos de histórias, foi encontrado um talão de um antigo clube de pedestrianismo. E, com a típica preguiça de pensar dos adolescentes, foi o clube batizado de Electro Club.

O Electro club só duraria até o dia 18 de Setembro. Mas fiquem calmos, pois não faliu e nem rachou...

Em uma das reuniões, dessa vez feita na casa da avó de Flávio Ramos, Dona Chiquitota, a simpática senhora perguntou para o neto qual seria o nome do clube:

- Electro Club, vó!
- Meu Deus! Que falta de imaginação! Ora, morando onde vocês moram, o clube só pode se chamar Botafogo!

Graças a Deus, Flávio Ramos não era desses aborrescentes rebeldes de hoje. Imaginem... "Fúria Eléctrica", "Eléctrichopp", "Torcida Jovem do Electro"...

Graças a Deus pela sabedoria de Dona Chiquitota. Deve estar nesse momento olhando de lá do Céu para General Severiano, toda pimpona, vendo o nome que ela sugeriu ressoar por esse pequeno mundo, resvalando para o universo e chegando até a mundos distantes.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Como derrubar uma figueira com duas machadadas

É isso aí!!!

Agora preparem-se para me aturar fazendo comentário sobre futebol (mais especificamente o Botafogo)

Mais uma vez o Botafogo mostra que está maduro em campo, transformando a figueira em mudinha na sua própria horta. Começamos do jeitinho mineiro, com toques rápidos alternando bolas rasteiras e jogadas pelo alto. aos 16 do primeiro, Túlio recebe de uma bola de costas para o gol, acompanhada de um caboclo maravilha que baixou ali de repente, pois levanta e dá um belíssimo voleio, mandando o caroço para o saco no canto esquerdo da meta figueirinha - e pensar que já xinguei tanto esse cara... 1 x 0!!!!

Aos 25 o pavio do Predador (não por ser matador, e sim por parecer com aquele monstro do filme do Schwarznegger, ainda mais com aquele cabelinho...) se mostrou mais curto do que Ney Franco esperava. Toni Garrido, pilha fraca do jeito que é, não aguentou a zuação certa da torcida e a pilha dos jogadores em campo, tomou dois amarelos infantis e foi tomar banho mais cedo.

"Agora que o foguinho toma aquele sacode", pensou a mulambada zeca pimenteira. Ledo engano. Esse é o tipo de jogo que diferencia os homens dos meninos. O puro sangue do pangaré paraguaio. Bastou Ney Franco recuar o Jorge Henrique para o meio e manter apenas Welingool na ponta e o time fechou a marcação. Colaborou para isso o meio de campo do figueirinha, que corria muito, tocava muito e não finalizava nada. E quando tinha a chance de finalizar, cavava algum pênalti imbecil que matava a jogada ou era simplesmente parado pelo dono das chaves. Graças a Deus que o alpinista de meio-fio não estava lá...

Nesse jogo amarrado, estilo Chamburcy, digo, Muricy, o Glorioso foi conduzindo o figueirinha, até que aos 9 do segundo, em um contra-ataque, Diguinho dá um belo passe para Thiaguinho mandar uma bomba no canto direito do wilson. É saco!!! Dois a um!!!

A partir daí, vimos um figueirinha atacando desordenadamente e até catando um golzinho aos 17 do segundo em uma cagada que em nada macula a excelente performance de Renan, com quatro defesas excelentes. E olha que é um moleque de apenas dezenove verões! E assim permaneceu até os quarenta e nove. Acho melhor arrumar outro coração, porque esse deu pau...

Fim de papo! Vinte e oito pontos, apenas dois atrás do SPFC, que está no G4. Agora é trazer o porco para o matadouro no domingo. Prato da tarde: Feijoada completa com torresmo.

E assim caminha o Glorioso. Sem muito alarde, sem mídia, sem oba-oba, sem bombas. RUMO AO TRI!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Sobre o casamento

Morreu ontem, por volta de 21:30, a ex-primeira dama Ruth Cardoso, mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso durante 55 anos.

Não vou falar sobre sua trajetória de vida, suas declarações ou sua atuação em prol das causas sociais. Isso já está sendo feito pro várias agências de notícias.

Venho apenas trazer um fato digno de nota. Em meio a tantos casamentos-relâmpagos e divórcios via SMS, é algo notável duas pessoas permanecerem juntas durante 55 anos. O que reforça a minha certeza - apesar de todas as provas em contrário - de que o casamento não é uma instituição falida.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

100

Centésimo post.

Parabéns para mim, que teve criatividade para escrever até aqui.

Parabéns para você, que se deu ao trabalho de ler...

O I-pod da Vovó


Crédito: Humberto Francheschi, "A Casa Edison e Seu tempo"

terça-feira, 17 de junho de 2008

Torcedor é f...

Na blogosfera Gloriosa:

"O problema do Botafogo é meia... meia dúzia de perna-de-pau!!!"

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Quem vive de passado é museu

Recebi isso de um flamenguista querendo tirar onda com a minha cara:

- 1 Mundial Interclubes
- 1 Libertadores
- 1 Mercosul
- 1 Copa Ouro
- 5 Campeonatos Brasileiros (Primeiro Penta da história)
- 2 Copas do Brasil
- 1 Copa dos Campeões
- 30 Campeonatos Cariocas.
- Craques como: Zico, Zizinho, Leonidas, Domingos da Guia, Gerson, Garrincha, Dida, Romário, Bebeto, Dorval, Renato Gaucho, Júnior (Maestro), Leandro, Adilio, Andrade, Aldair, Mozer, Raul, Julio Cesar, Juan, Reyes, Zagallo, Sávio, Jorginho, Leonardo entre outros inúmeros revelados ou que só foram reconhecidos após vestir o MANTO SAGRADO (Nelson Rodrigues)
- Maior Torcida do mundo: Mais de 35 milhões apenas no Brasil (dados da FIFA).

Toda vez que são zuados, invocam esses números. É por isso que o Flamengo não ganha um título nacional de expressão desde 1992 (ok, ok, tem a Copa do Brasil de 2006, mas é apenas um atalho para a Libertadores...) e o único Mundial Interclubes foi ganho em 1981.

Acorda, urubu! Ou vai passar a eternidade exaltando conquistas passadas...

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Coisa pra macho!

Janer Cristaldo, em seu blog, disse:

"(...) Seja como for, não é intelectualmente honesto deixar pela metade livros como o Quixote, Crime e Castigo, 1984, As Viagens de Gulliver. E centenas de outros. Sei, não é fácil ler Cervantes ou Dostoievski nos dias que correm. Mas quem decidiu enfrentá-los, tem de ir até o fim. Leitura é trabalho."

Pois é Janer, prá que fui seguir seu conselho... e, não satisfeito, estou lendo uma edição em espanhol de "Don Quijote de la Mancha".

É livro pra macho!

terça-feira, 10 de junho de 2008

A voz da experiência

Estádio João Havelange - vulgo Engenhão - Botafogo vs. Coritiba, ala leste superior:

- Olha lá, pai! Fizeram uma bandeira com a foto do Heleno de Freitas e os dizeres "Heleno vive"!!

- Heleno vive? Nem a sombra dele tá aí. Com esse time ruim em campo...

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Quanta moral hein, Papa?

Como já dise aqui, não sou de copiar textos de outros blogs, pois sou muito inteligente para isso, além de humilde. Mas encontrei esse no blog do Janer Cristaldo e não resisti, tenho que publicar aqui:

"(...)Como sempre considerei, nossos jovens católicos são católicos só de fachada. Em verdade, não admitem que um papa se intrometa entre seus lençóis. O que me lembra algo ocorrido no Chile, durante uma visita de João Paulo II. O único jornal a relatar este episódio, pelo que me consta, foi o parisiense Le Canard Enchainé. Perorava Sua Santidade às juventudes chilenas.

- Hermanas y hermanos que estáis hoy aquí reunidos! Verdad que renunciáis a las tentaciones de la sociedad de consumo?

Sua Santidade ouviu um sonoro "Sííííí!"

- Hermanas y hermanos que estáis hoy aquí reunidos! Verdad que renunciáis a los placeres del dinero y del poder?

- Sííííí!

- Hermanas y hermanos que estáis hoy aquí reunidos! Verdad que renunciáis a los placeres del sexo?

A multidão fez um profundo silêncio. Sua Santidade repetiu:

- Verdad que renunciáis a los placeres del sexo?

- Nooooo! - foi o que ouviu Sua Santidade."

sábado, 24 de maio de 2008

Isso que é cidadania

Conhecer seus direitos pode ser de grande utilidade.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Sexo também é esporte

PC Vasconcellos, na apresentação de seu perfil em seu blog, diz:

“A vida se repete num campo, numa quadra, num tatame e numa piscina”

Vou mais longe, PC. A vida também se repete em uma cama (ou um sofá, ou um banco traseiro de um carro, ou até mesmo no chão, se a urgência for grande demais)

Afinal de contas, sexo também é esporte.

Papo de peão

- Qualé cara! Vai ficar fazendo c* doce?

- Vou, por quê? Você é diabético?

terça-feira, 20 de maio de 2008

Um papo com Pedro Dória

Como é bom interagir com pessoas que acrescentam algo em sua vida. Leio hoje no blog do Pedro Dória:

""No Brasil, onde fica 60% da floresta Amazônica, o debate a respeito da propriedade da mata é dado em termos recorrentes. Há uma suspeita antiga, por parte dos militares e dos segmentos conservadores, de que o real objetivo dos estrangeiros é tomar posse deste pedaço selvagem e tropical do país e de suas riquezas.

A importância global da Amazônia é bem conhecida. Ela atua como um regulador de clima, afetando diretamente os padrões de chuva no Brasil e na Argentina. Seus ventos, sugerem alguns estudos, talvez afetem chuvas na Europa e América do Norte. A queima e decomposição de árvores cortadas pelo desenvolvimento do Brasil é responsável por 50% das emissões de carbono oriundas do desflorestamento, diz Meg Symington, diretora para Amazônia do World Wildlife Fund, nos EUA. […]

Há poucos casos concretos daquilo que os brasileiros chamam de biopirataria. A companhia farmacêutica Bristol-Myers Squibb, por exemplo, descobriu que o veneno das cobras jararacas pode ajudar no controle de pressão alta e o usou para lançar o remédio Captopril. Mas em geral, diz Thomas Lovejoy, presidente da ong Heinz Center, ‘a biopirataria é uma lenda".

O assunto mais badalado dos últimos dias, nas redações do Brasil, é a reportagem dominical do novo correspondente do New York Times, Alexei Barrionuevo, com o sugestivo título ‘A Amazônia pertence ao Brasil – ou ao mundo todo?‘. Na caserna, já estão lá uns generais e coronéis de pijama todos ouriçados.

Quem lê o texto sem preconceitos ou pré-concepções, no entanto, descobre outra coisa: é honesto. É a típica pauta que só um repórter estrangeiro recém-chegado ao Brasil perceberia. Trata da paranóia sempre presente por aqui de que alguém, em algum lugar, nos quer roubar a Amazônia. Não fala de uma ameaça real. Quem conhece o Brasil há muito não se surpreende com esta discussão; aqueles que chegam de fora ficam surpresos com a idéia que ronda as teorias conspiratórias da direita.

Num segundo nível, no entanto, a reportagem levanta uma questão importante. Quando um país não cumpre com suas responsabilidades, o que a comunidade internacional deve fazer?

Veja-se o caso do Sudão e de seu genocídio em curso na região de Darfur. Às vezes está mais em evidência na imprensa, noutras tantas, menos. A China sustenta economicamente o país e ninguém achou que cabe uma invasão, mesmo que para salvar gente. Em princípios dos anos 90, a Otan, sob o comando do então presidente dos EUA, Bill Clinton, interveio no Kosovo para impedir outro genocídio.

Noutros casos, a questão não são vidas humanas em risco. A China polui – e polui sem culpas. Está prestes a se tornar o maior emissor de carbono do mundo. Enquanto isso, o atual maior emissor, os EUA, elegerá um presidente – seja Obama, seja McCain – que agirá como Bush se recusou a agir e partirá para diminuir a dependência do petróleo, coisa que fará bem ao planeta, pela geopolítica, pelo aquecimento. Mas ninguém cogita intervenção na China. Mal há pressão.

Ecologicamente, o Brasil tem uma atuação dúbia. Nosso governo é totalmente irresponsável no que tange a preservação da Amazônia. Por outro lado, nossa energia vem em primeiro lugar do etanol, em segundo das hidrelétricas – combustíveis fósseis em terceiro. Nesse sentido, não tem país grande como este. Se há críticas ao etanol brasileiro – e há –, elas são injustas. O etanol de cana – e não o de cereais – é a alternativa mais barata e mais eficiente que há hoje para o petróleo-combustível. Não que a grande indústria petroleira goste disso.

Daí que a questão amazônica é surpreendente. Embora seja um exemplo de substituição do combustível fóssil, o país é o quinto maior emissor de carbono do mundo. São as queimadas. E a responsabilidade é de Brasília. Qual responsabilidade? O Brasil não tem uma política para a Amazônia. Cada ministério tem suas preocupações, cada setor do governo faz o que quer e, evidentemente, os interesses entram em conflito.

O Brasil é assim: quando quer, o governo sabe fomentar um setor, investir em pesquisas, se relacionar com empresas privadas e nos tornamos líderes mundiais em algo inovador ou inventamos soluções próprias e competitivas. O governo sabe ser competente. Assim como nossas empresas privadas também sabem. É o Brasil do etanol, da Vale, da Petrobras, da Natura, da Embraer. Noutras vezes, deixamos os problemas para lá na esperança de que alguma solução apareça pela inércia. Jamais aparece.

Os militares tinham uma política para a Amazônia: a de ocupá-la. Sua política foi desastrada. Mandou gente para lá que não acaba mais e não legalizou a situação de ninguém, não distribuiu os títulos de terra que prometera, tampouco construiu a infra-estrutura que devia. Na falta de legalização, a lei passou a ser a da arma e da força. É uma vida dura, difícil. Mas ao menos tinham um objetivo para aquele mundo de terra e de mata. Os governos civis não têm. No fundo, e já há muitos governos, o que falta para a Amazônia é um objetivo claro.

O Brasil tem, sim, uma responsabilidade perante o mundo de preservar sua floresta. É uma responsabilidade também perante nós mesmos. Sem Amazônia, não há chuva do centro-oeste ao sul para irrigar as plantações que sustentam o crescimento ou encher as hidrelétricas que acendem São Paulo e o Rio. Então, do ponto de vista pragmático, não há dúvidas de que preservar é bom negócio.

Como preservar? Fechar tudo e não deixar ninguém mais entrar? Como distribuir os títulos de terra para quem já está por lá? Como instituir a lei numa terra em que deputados-policiais matam gente com serra elétrica? Como erguer centros de pesquisa brasileiros com cientistas de ponta transferidos ou nascidos na região?

Ninguém vai tomar a Amazônia – a política internacional não comporta esse tipo de ação.

Mas, por trás do pedido de demissão da ministra Marina Silva, está um fato simples que só. O Brasil ainda não sabe o que quer fazer com sua maior floresta. E, enquanto não soubermos o que fazer com a mata, ela seguirá sendo destruída e uns tantos entre nós, por puro sentimento de culpa, continuarão achando que alguém lá fora vai tomá-la na força. Talvez porque, no fundo, bem lá no fundo, saibam que temos culpa no cartório."

Comentei discordando:

"Como os euro-americanos são bonzinhos!

Vamos salvar a Amazônia dos maus brasileiros!

Será que ninguém se tocou ainda que qualquer plano de manejo sustentável da Amzônia elaborado aqui no Brasil, por melhor que seja, não será bem-sucedido unicamente por não ter sido elaborado no norte, visando os interesses do Norte?

Ninguém aqui é ingênuo, e todos sabem que a parte realmente intressante da Amazônia está ABAIXO DO SOLO.

E nosso governo, ao não estabelecer uma política de controle da expansão da fronteira agrícola, a maior responsável pelo desmatamento na Amazônia, parece estar agindo deliberadamente para fortalecer as vozes favoráveis a uma pretensa “internacionalização”.

E PD não perdeu uma oportunidade de alfinetar a classe militar - a única que pensou e pensa a longo prazo nesse país, com falhas de planejamento, mas pensam - com termos pejorativos do tipo “Generais e coronéis de pijama”…

O dia em que a Europa e os Estados Unidos pararem de nos olhar como uma ameaça e começar a discutir de igual para igual uma forma de manejo sustentado que venha beneficiar a todos nós, e não só para manter o padrão de consumo do Norte, aí poderemos começar a pensar em uso compartilhado."

Eis a resposta de Dória:

"Calango, perdoe mas, neste momento, o Brasil faz com sua Amazônia o que bem entender e não importa o que pensam EUA e Europa.

Os méritos e defeitos são exclusivamente nossos, ninguém lá fora tem nada com isso. Então, ao invés de reclamar do povo lá fora, somos nós que temos que ter solução.

No que toca aos militares, eu deixo absolutamente claro que, diferentemente dos governos civis, eles tiveram uma política para a Amazônia. Era uma política de ocupação que tinha objetivo e plano de conquista. Foi mal implementada, ainda bem. Porque o resultado seria desastroso. Mas eles sabiam o que queriam fazer.

Nenhum dos governos civis sabe o que quer com a Amazônia. Na falta de planos, o caos."

É verdede, Pedro. no que tange à preocupação do governo com a Amazônia, nossas opiniões conicidem. Parece ação deliberada - a atitude do governo, não nossas opiniões.

Mas, PD, da mesma forma que eu critico o governo, por não tomar medidas com o objetivo de manejar a amazônia de forma sustentável e assim dar voz aos Alexeis Barrionuevos da vida, também critico todo esse discurso bem-intencionado, mas com interesses espúrios, que vem de lá do outro lado do Equador.

Ou será que alguém acredita que os Euro-americanos pretendem manter a amazônia intocável para a eternidade?

Para terem uma idéia de como a galera do andar de cima está preocupada com a floresta amazônica, vejam essa notícia do "The Independent".

Olhem seus rabos, macacos!

segunda-feira, 19 de maio de 2008

E é por isso que dizem...

...que brasileiro só copia do primeiro mundo o que há de ruim. Leiam notícia que postei no dia 11/03/08, do portal G1:

Holanda quer liberar sexo nos parques

Polícia holandesa quer liberar a partir de setembro o sexo em parques públicos. A determinação, que já vale em alguns parques de Amsterdã, está sendo estudada, segundo informações do site "nis.nl".Um vereador local avisou que haverá regras. Entre elas: o ato não poderá ser feito perto dos playgrounds e outros locais onde haja um grande número de crianças. As camisinhas usadas terão que ser jogadas no lixo mais próximo.As duas ou mais pessoas que estiverem no meio do ato sexual também terão que controlar os barulhos. A determinação é que não atrapalhe a vida dos demais visitantes dos parques.“Por que devemos manter algo que atualmente é impossível de manter?”, afirmou Paul van Grieken, em entrevista para a imprensa local. Ele é o responsável e vereador pelo distrito Oud Zuid, em Amsterdã.Van Grieken, porém, avisou que o sexo terá horário. E só poderá ser feito à noite.Por outro lado, os donos de bichinhos domésticos poderão levar multas se andarem com os animais sem coleira. “Uma pesquisa mostrou que isto incomoda bastante aqueles que tomam sol e andar de bicicleta”, disse o vereador.

Hoje de manhã, indo para o trabalho, ouço no rádio que está sendo estudada a possibilidade de ser reservada uma área para a prática de sexo ao ar livre no parque do Ibirapuera. A única dúvida que pairou no ar é se será feito apenas à noite e haverá multa para quem andar com bichinhos sem coleira.

Bem, não só copiamos aquilo que o primeiro mundo tem de pior, como também somos capazes de aperfeiçoar...

Liberdade, por Dom Quixote

Atendendo a milhões de pedidos (do Márcio):

"A liberdade, Sancho, é um dos mais preciosos dons que os céus deram aos homens; a ela não podem igualar-se os tesouros encerrados na terra e nem os que o mar encobre; pela liberdade assim como pela honra se pode e se deve arriscar a vida e, pelo contrário, o cativeiro é o maior mal que pode vir aos homens."

Don Quijote, II, 58, págs. 984-985

domingo, 18 de maio de 2008

Libertad, por Don Quijote

"La libertad, Sancho, es uno de los más preciosos dones que a los hombres dieron los cielos; con ella no pueden igualarse los tesoros que encerra la tierra ni el mar encubre; por la libertad así como por la honra si puede y debe aventurar la vida, y, por el contrario, el cautiverio es el mayor mal que puede venir a los hombres"

Don Quijote, II, 58, págs. 984-985

sábado, 17 de maio de 2008

The Castillo Show

E o Cruzeiro venceu no Mineirão. 1 x 0, gol de Gulherme, em um pênalti inexistente, pois Vagner se jogou e o juiz foi na onda. Poderia ser 6 x 0, mas tinha um paredão uruguaio na frente. Valeu, Castillo!

Botafogo entrou com um time misto que pouco ameaçou a meta da raposa, exceto em uma jogada pela direita de Wellington Paulista defendida por Fábio e um lance inacreditável desperdiçado por Ferrero, que preferiu chutar para fora a tocá-la para dois dos nossos que estavam livres e em posição legal.

Mais uma vez ficou evidente a limitação de Renato Silva, que tomou uma bela caneta de Guilherme no lance que terminaria no pênalti fajuto.

Um empate sairia de bom tamanho. Mas não deu. Agora é focar na terça-feira, em que estaremos enfrentando um gavião embalado pela vitória sobre o Gama.

Mais sobre a enciclopédia

Só teve um jogador que Nílton Santos não conseguiu parar: Mané Garrincha. Tal glória pertence a Domingos da Guia.

Aliás, graças a Deus que Nilton santos não conseguiu pará-lo. Nesse momento o Botafogo começou a escrever uma página histórica no livro do futebol.

Agora, nessa fase de sua longa e bem-vivida vida, aparece um outro atacante muito mais sutil e astuto tentando passar por ele - Alzheimer.

Mas esse ainda tá tentando passar.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Parabéns

O maior ídolo vivo do Fogão, Nílton santos, hoje está completando 83 anos. Não o vi jogar - tudo que eu sei é de filmes antigos e relatos do meu pai, que teve a felicidade de vê-lo atuar ao lado do Anjo das Pernas Tortas, naquele Botafogo que, infelizmente, não voltará a existir.

Aliás, foi graças à intervenção de Níltos Santos que Garrincha foi contratado pelo Alvinegro, isso lá pelos idos de 1953. O resto, todos sabem.

Que fique aqui registrada esta pequena homenagem à "Enciclopédia do Futebol".

Em ação

Hoje. Coberto de honrarias mais que merecidas

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Não é preciso ser rico para ser elegante...

... e Pixinguinha vai nos mostrar isso no vídeo abaixo. Esbanjando elegância ao lado do grande flautista Benedito Lacerda e grupo regional desconhecido.

http://www.youtube.com/watch?v=HyU1wEkyf28

Menos é mais. Elegância na simplicidade. Salve eterno Mestre!

terça-feira, 13 de maio de 2008

O Maracanã como poderia ter sido

Abaixo vão fotos da maquete de um projeto de Niemeyer para um concurso objetivando a construção de um centro olímpico no bairro do Maracanã, promovido pelo Ministério da Educação e Sáúde em 1941 e presidido pelo Ministro da educação à época, Gustavo Capanema.

O projeto de Niemeyer compreendia um estádio para futebol e atletismo com capacidade para cento e trinta mil pessoas; um estádio para esportes aquáticos, com capacidade para dez mil pessoas; três ginásios cobertos para basquete, voleibol e tênis, com capacidade para cinco mil pessoas cada um; um campo para pólo e uma escola de ducação física dispondo de salas de aula, dormitório e ginásio. Estacionamento e uma ponte de acesso à estação do Maracanã estavam previstos no projeto

O mais marcante era a monumental estrutura em arco, de onde saíam os tirantes que sustentavam a marquise que protegia o setor norte das arquibancadas, o mais sujeito à incidência solar. O arco desempenhava duas funções: estrutural e de inserção da construção na paisagem urbana carioca.


Infelizmente o projeto escolhido é o que temos atualmente. Me pergunto onde os jurados estavam com a cabeça...

domingo, 11 de maio de 2008

Curtindo a paisagem. E ainda ganhando hora extra

Uma tarde maravilhosa de sábado e eu estava no batente...

Com raiva do chefe? Imagine...

Imagine-se no meio de imensas pastagens, sem o menor ruído de algo parecido com civilização, respirando um ar que a cidade grande jamais lhe oferecerá, e com apenas o vento cochichando em seu ouvido.

Imaginou? É exatamente onde estive trabalhando ontem.

E ganhando hora extra!

IURD - um trocadilho

Onde se lê:

Igreja Universal do Reino de Deus

Lê-se:

Imorais Unidos para Roubar seu Dinheiro

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Notas ao vento

Na Barra, vejo o seguinte anúncio em outdoor:

"Península Office. 100 % das unidades vendidas."

Se já está tudo vendido, por que continuam anunciando?

Lágrimas de urubu

Impressionante a capacidade de certas equipes de virar a mesa a seu favor quando tudo está contra. Assim foi o América do México. Também é impressionante a capacidade de certas equipes de virar a mesa contra si quando tudo está a seu favor. Assim foi o Flamengo.

Mas mais impressionante ainda é a parcialidade das redações de certos jornais, mais especificamente o "O Dia", o "Lance!" e o "Jornal dos Sports". O "O Dia", apesar de colocar a derrota do urubu em primeira página, minimiza o "maracanazo" dando destaque à prisão do casal Nardoni. O "Jornal dos Sports" coloca na primeira página em letras garrafais: EXPRESSO ARRASADOR. Quando puxo o jornal da pilha, descubro que estava falando da vitória do... Vasco contra o Corinthians-AL! E o "Lance!" me coloca uma caricatura do Ronaldinho com o Mr. Magoo!

Bom, como já falei aqui, o Flamengo tem time. Para ganhar campeonatos estaduais. Não competições internacionais. O mesmo se aplica ao Fluminense. Que, aliás, está com tudo... para tomar ferro do São Paulo nas quartas-de-final da Libertadores.

Mas não era disso que eu queria falar. Queria apenas demonstrar como as redações dos principais jornais esportivos do Rio estão infestadas de urubus.

terça-feira, 6 de maio de 2008

Remember

E no meio de tanto chororô, urubus e travecos, uma coisa é fato: Que falta faz o Bussunda nessa hora!



Sorte dos anjos, que devem estar rindo até agora...

Tava demorando

Nova campanha publicitária da Varilux:

"Para não levar André por Andréia, use Varilux"

segunda-feira, 5 de maio de 2008

A prancheta do Joel


Bola pra frente

E a história se repete. O Botafogo não tem banco, e não conseguiu se sustentar no jogo. Dominou no primeiro tempo, marcando muito bem o Urubu no meio do campo, fazendo o gol em uma jogada de bola parada. No segundo, bastou um gol de Obina logo no começo para desestabilizar o time.

Já haviam nuvens negras no ar, quando Joel Santana coloco Diego Tardelli e Obina em campo no segundo tempo, enquanto Cuca manteve o mesmo time. Não ia prestar. Obina confirmou isso logo no começo.

O ataque alvinegro, contando apenas com Jorge Henrique, pois Wellington Paulista fora uma nulidade em campo, pouco pôde fazer. Soma-se a isso a incapacidade do meio-campo alvinegro de fazer um lançamento que chegasse aos pés do ataque.

O gol de Tardelli aos 35 do segundo tempo matou o bicho. O alvinegro perdeu-se em campo e as substituições de Cuca pouco adiantaram. Não havia um meio-campo capaz de fazer um lançamento decente. Não havia um ataque capaz de fazer presença e dar algum movimento ao time. E a expulsão de Renato Silva deixou o time ainda mais exposto. O resultado foi o terceiro gol de Obina já nos acréscimos do segundo tempo.

Flamengo bi-campeão. Com méritos. Parabéns para o Joel, Obina, Tardelli, Bruno, Juan, Léo Moura e Marcinho.

Eu sei que o Souza não estará lendo esse blog. Mas se estiver, convenhamos... você foi uma nulidade nos dois jogos. Acha que pode zuar alguém? Ganhar na aba dos outros é mole.

Agora é levantar a cabeça e ignorar a provocação da urubuzada, pois quinta-feira é dia de cozinhar um galo. Em tacho de barro.

PS: Urubus, curtam bastante o Carioca. Afinal, não possuem time pra ganhar Libertadores.

Frase do dia seguinte

Da caixa de comentários de um blog:

"Fla é bi. O Ronaldo também."

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Isso que é persuasão

E nos corredores daquele campus...

- E os travecos do Ronaldo, hein? Só podia ser de Bento Ribeiro mesmo!

- Sai fora! Lá em Bento Ribeiro só tem pegador! Pega tudo o que aparece na frente!

- Até pescoço grosso né?

- Sabe como é que é né? Tem tanta mulher querendo armar pra cima do cara que o cara resolveu pegar traveco porque não tem chance de engravidar!

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Delírios urubescos

Enquanto isso, no trabalho:

"Obina ia ser chamado para a seleção. Só não foi porque a vaga dele tinha sido ocupada por Alexandre Pato!"

"Obina e Souza são presenças garantidas na copa de 2014!"

Só acaba quando termina

Lance!:

"Iluminados"

Jornal dos Sports:

"A caminho do bi"

Extra:

"Obina põe o Fla perto do título"

O Dia:

"Mengão sai na frente"

Com exceção do "O Dia", os outros jornais parecem certos do bi-campeonato rubro-negro...

Não fiquem tão certos assim. 1x0 não é vantagem. Se o Botafogo ganhar o próximo jogo com um gol de diferença, vai para os pênaltis (de novo!). Se ganhar por dois gols, liquida a fatura.

Outro ponto que me chamou a atenção foi a "satisfação" de Joel Santana. Sua situação não é das mais confortáveis, daí o empenho em decidir a partida no primeiro jogo - em que seu sucesso foi relativo, pois ganhou, mas não com um placar esticado, como pretendia.

Flamengo terá um jogo no meio da semana em um lugar com elevada altitude. Se colocar o time misto, leva ferro lá. Se colocar o time completo, corre o risco de repetir aqui o resultado da semifinal da Taça Rio. Vale a pena lembrar que Botafogo estará com o time completo, à exceção provável de Triguinho.

Portanto, não custa nada lembrar às redações do Jornal dos Sports e do Extra que ainda não há nada decidido.

NOTA: Flamengo, assim como o Fluminense, não tem time para ganhar Libertadores. Pode chegar às quartas-de-final, ou até mesmo à semifinal. Até a hora em que bater de frente com um River ou com um Boca Juniors. É melhor se concentrar no Carioca, que é mais garantido.

Bom começo

Quarta-feira, 16/04

89 kg

Segunda-feira, 28/04

87,6 kg (incluso uma calça jeans, um par de sapatos e uma camisa polo)

Vou comemorar com guaraná diet.

sábado, 26 de abril de 2008

Gente nova em casa

Ainda não lhe demos um nome. Foi encontrado chorando em um dos prédios do CCS da UFRJ. Sequer dentes possui, estamos alimentando-o com mamadeira.

Eu ia escrever a respeito da crueldade humana de deixar uma pobre criatura indefesa entregue à própria sorte. Mas como minha irmã o trouxe para casa, mudei de idéia. Acho que ainda há boa-vontade e misericórdia no coração do ser humano.

Portanto, paz na Terra aos homens e mulheres de boa vontade.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Frase (maquiavélica) do dia

"É necessário que se faça todo o mal de uma só vez, a fim de que, provado em menos tempo, pareça menos amargo, e o bem pouco a pouco, a fim de que seja mais bem saboreado". Niccolò Machiavelli.

Epitáfio para um paraíso agonizante

Essa é a ilha de Paquetá. Linda desse jeito, vista do alto (by google).

Lugar cheio de história, em cujas águas D. João VI encontrou a cura das úlceras em suas pernas. Lugar onde os chorões da velha guarda se reuniam para compor a História. Lar eterno do grande maestro Anacleto de Medeiros. Lugar que deu emprego a um jovem Sebastião Rodrigues Maia, como guia turístico.

Lugar que sofreu, tomando parte compulsoriamente em uma guerra que não era sua - a Revolta da Armada. Sofreu as consequências de sua participação forçada nas mãos do Coronel Antônio Moreira César, o cachorro louco hidrófobo sádico epiléptico. O mesmo Moreira César que teria um merecido e inglório fim em Canudos. Não sem antes agonizar três dias, e depois ter sua cabeça seccionada do corpo e exposta em uma estaca.

Lugar que apesar de tudo, manteve sua beleza. Até agora.

Digo até agora porque essa beleza está sendo paulatinamente contaminada tal qual uma folha de goiabeira por um fungo. Nesse caso, é um fungo acinzentado visto do alto e avermelhado visto de perto.

Esperava que as águas turvas da Grande Privada a mantivesse imune a essa enfermidade. Enganei-me. Hoje Paquetá começa a tornar-se um retrato 3x4 de nossa cidade. E ainda tem gente que enxerga beleza nisso.

Realmente, o Rio de Janeiro continua lindo...

Frase do dia

"Nem todo papel azul é nota de 100 reais". Eu

Felicidade é...

...voltar a entrar em uma calça 42!

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Frase do dia

"A esperança é a última que morre. Mas que morre, morre!". Autor desconhecido

Relembrando Seu Creysson

"A métia principálica vai sê a inducassão, pruquê resolvêndio o pobrêmia inducassional se arresolve–se também o da çaúde. No meu govêrnio, tôdio múndio vai sê bem educádio, tôdia veiz qui arguém ispirrá, tôdio múndio qui tivé pértio vai ter qui dizê: "Çaúde!". Eu se arresolvo–so dois pobrêmia numa caixa dágua só!!!"

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Pobre. Mal-educado. E funkeiro.

Nada mal! Após quatro dias de tempo ruim, abriu um sol maravilhoso... justamente no dia em que estou escalado para trabalhar.

Como se não bastasse isso, pela manhã sou acordado com um barulho um tanto diferente do habitual:

CRÉU! CRÉU! CRÉU! CRÉU! CRÉU! CRÉU!

Achei que fosse algum ringtone novo do meu celular, mas o barulho vinha de fora. Para fora olhei e estava parado em frente à minha calçada, no outro lado da rua, um abençoado e seu Gol "bolinha" com a tampa do porta-malas aberto emitindo esse ruído incompreensível.

Pobre. Mal-educado. E funkeiro.

Nada contra os funkeiros. Menos ainda a favor. Acredito que o funk que eu adorava lá nos idos de 1995 - pra mim a melhor fase, se é que houve alguma - hoje se tornou uma abstração feita em um momento de violenta evacuação* provocado por alguma tipo raro de diarréia fulminante.

Mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante, nada tenho contra quem goste.

Afinal de contas, gosto não se discute. Apenas se lamenta.

* evacuação: ato de defecar. Em termo mais simples: CAGAR

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Dia de cão

Todos sabem o que acontece no Rio quando chove. Uma viagem que eu calculei ser de quarenta minutos durou uma hora e meia.

Na ida, seria estranho se fosse diferente. Dois acidentes e dois veículos enguiçados. justamente nos trechos mais movimentados. Como resultado, uma consulta de quarenta minutos com minha nutricionista loira de um metro e setenta e lábios grossos - enfim, a nutricionista que todo paciente queria ter - marcada para às 13:40 foi perdida porque cheguei lá às 14:15...

Na volta, pior ainda. Um engavetamento dentro do túnel bloqueou duas pistas me deixou preso na Princesa Isabel por quase meia hora. A chuva tem o efeito cruel de colocar em evidência aqueles que acham que sabem dirigir e aqueles que não cuidam de seus carros.

Acrescente a isso uma vontade intensa de tirar uma água, e estará no pior dos mundos.

Perdi o dia...

Filosofia de pára-choque de caminhão

"Saudades da minha família. Principalmente da cabeludinha do meio"

terça-feira, 15 de abril de 2008

Faltou uma

Música para ouvir fugindo da polícia em alta velocidade: "Aim for me", do Sugar Ray.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Sintonize seu rádio

Existem músicas para determinados momentos. Lá vai alguns exemplos:

Música para ouvir em uma auto-estrada no fim da tarde: "Love x Love", do George Benson.

Música para ouvir na Lagoa, no fim de tarde: "Turn back the clock", do Johnny hates jazz.

Música para ouvir em um dos quiosques da Lagoa: qualquer jazz, embora eu prefira o álbum "Time out" do Dave Brubeck Quartet.

Música para ouvir subindo a serra para Petrópolis, de preferência dirigindo um Porsche 356 speedster como esse aqui embaixo: "In my life" dos Beatles.



Música para ouvir em Madureira: qualquer do Zeca Pagodinho, Dudu Nobre ou Jorge Aragão.

Música para ouvir indo para o trabalho: Várias. Posso listar "I've herad it from the grapevine" do Marvin Gaye ou "virtual insanity" do Jamiroquai.

Música para ouvir dentro de um carro em alta velocidade: Várias. Cito "Travelling without moving" do Jamiroquai, "Someday" do Sugar Ray, "Regret" do New Order.

Música para ouvir indo para a Night: "Seven days in sunny june" do Jamiroquai.

Música para ouvir chegando em Búzios: "The return of the space cowboy" do Jamiroquai.

Música para ouvir "fazendo amor" (argh! que clichê!): Ah depende... geralmente nessas horas não me ligo em música.

Mas tem certos estilos que são intragáveis. Me lembro de uma ocasião em que estava no meio de uma diversão a dois e no outro quarto começo a tocar uma música do "É o tchan".

Não teve jeito. Eu e minha ex fomos embora na mesma hora.

domingo, 13 de abril de 2008

Fim de jogo

E confirmou-se minha previsão. Botafogo 3 x 0 Flamengo.

Mas essa vitória ficou com um gosto meio aguado. Não interessaria para o Flamengo essa vitória, por motivos que já expliquei em um post anterior. Agora é esperar pela final.

Agora um fato: Souza foi caçado dentro de campo e sumiu, tanto que Joel o tirou logo no começo do segundo tempo. É no que dar ficar fazendo gracinha nas comemorações. Isso me fez lembrar uma brincadeira de Edimundo com o Gonçalves - quis ficar dançando a "dança da bundinha" - no primeiro jogo da final do campeonato carioca de 1996. No jogo seguinte foi caçado dentro de campo, sumiu, e o Fogão faturou o título.

Não mexam com os brios de um alvinegro.

É GOL!!!

Lúcio flávio, de pênalti. Fogão 3 x 0.

É GOL!!!!

Fogão 2 x 0. Gol de alessandro, no cantinho direito da meta de Bruno.

Por enquanto, vai se confirmando

Fim do primeiro tempo. Fogão 1 x 0 Flamengo.

Acessos de baitolice (com língua presa)

Numa viadagem, digo, viagem a trabalho:

- Aí, cara, tú fabe de algum lugar maneiro aqui prá fair?

- Pô cara tem aqui perto o "triângulo das bermudas"*. Lugar maneiro com gente bonita.

- Legal! Vambora lá hoje?

- Até queria ir, mas moro longe e tenho que acordar cedo

- Tem problema não, vofê dorme no meu quarto depoif... a gente aproveita pra tomar um vinho...

- ??????

- ...oufir uma muviquinha... vofê gofta de Queen?

- Ih ao cara aê! Tá me estranhando?

- E daquela cantora que canta "I will survive"? Vofê gofta?

- Aê, alguém troca de lugar comigo?

*Triângulo das bermudas: lugar localizado em Cambuí, bairro de Vitória-ES, conhecido pela profusão de bares e restaurantes.

Fala Peãozada

Do aprendiz de peão pro peão velho:

- Oi Papi!

- O quê?

- Ué! Você é meu papi...

- Aí tu é maluco ou viado? Tô dizendo... pára com esse negócio de estudar que isso não dá futuro não! Escola da vida é boteco!

sábado, 12 de abril de 2008

Papo de peão

- Ih, sai fora! Tu tá falando com macho pegador!

- Macho sou eu que já peguei três gonorréias! Qualquer coisa é só tomar um Binotau que passa.

Merditando

"Crianças no banco da frente causam acidentes. Acidentes no banco de trás causam crianças." Autor desconhecido

Dando uma de Mãe Dinah

Flamengo vai perder essa semifinal. Não porque eu estou torcendo para que ele perca (bem, estou...). Mas por uma questão de lógica.

Raciocinem. Se o Flamengo ganhar a Taça Rio, não há final de Campeonato Carioca, porque vai faturar os dois títulos. Não é interessante para nenhum clube, isso, porque implicará perda de arrecadação.

Já duas finais - Taça Rio e Carioca - significa que em cada uma haverá em média 70.000 torcedores pagantes. Com o ingresso na média de R$ 20,00 (por baixo), façam as contas.

Bem, esse é o espetáculo do futebol...

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Máximas do Mundo Corporativo

"Sobe na empresa aquele que sabe espalhar melhor a merda, de modo que não se perceba o volume da mesma ao jogá-la para debaixo do tapete."

Papo de Peão

- Nunca mais compro aqueles grafites coloridos da Faber-Castell! Aquela porra quebra toda hora! Se você escrever "paralelepípedo" o grafite quebra ums quatro vezes!

- e se escrever "inconstituicionalissimamente"?

- A matéria-prima do grafite é obtida de um musgo que vive abaixo do solo em florestas pré-históricas da Europa.

- Porra, então quer dizer que eu uso cocô de dinossauro pra escrever?

Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje

Estava louco para comprar uma Ferrari 250 GTO, igual a essa aqui embaixo:


Pois bem, anteontem, pesquisando no Mercado Livre encontrei uma dessas à venda. A última que apareceu foi há oito meses atrás. Trata-se de um modelo fora de linha e muito procurado. Mas ao invés de comprar, caí na bobagem de ir perguntar ao vendedor quanto sai o frete para o Rio de Janeiro. E fiquei aguardando a resposta.

Só para descobrir no dia seguinte que alguém não se preocupou com o frete e a comprou!

Quem espera sempre alcança, diz o velho deitado. E quem espera demais sempre perde a vez...

Pense bem

Ser independente implica responsabilidades...

Lembrando Bill Watterson

Pra quem não sabe, é o pai do Calvin, o garoto de seis anos que tem como amigo um tigre de pelúcia e vive questionando o mundo (com ou sem motivo).

Vez ou outra Calvin nos fará companhia nesse blog, como na tirinha abaixo:

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Notas do dia

Reinaldo Azevedo vai lançar um livro, "O país dos petralhas". Não vou comprá-lo, assim como não comprei "Lula é minha anta", de Diogo Mainardi.

Se eu quiser ler qualquer artigo deles, basta eu buscar edições anteriores de "Veja", ou acessar o blog - no caso do Reinaldo - ou o podcast - no caso do Mainardi. Afinal, como disse o Reinaldo, "é uma reedição de artigos meus do blog e da revista".

O que mais me espanta é que tem gente já na fila não vendo a hora da coletânea de artigos reeditados ser lançada.

Bom, o que seria do malandro se não fosse o otário?

***

E o Fogão está na próxima fase da Copa do Brasil. Venceu ontem o River do Piauí por 2 x 0. Poderia ter sido por 6 x 0 se não fossem dois pênaltis não-marcados e duas bolas na trave.

Ponto positivo para Wellington Paulista, combativo do começo ao fim e autor do segundo gol.

Ponto negativo para Jorge Henrique, que se jogou mais do que jogou. Alguém tem que avisá-lo de que não vai dar pra fazer isso na semifinal da Taça Rio contra o Flamengo.

E se o juiz que apitar a semifinal for tão bom quanto o que apitou o jogo de ontem, é melhor o Fogão entregar a vaga na final para o Flamengo por W.O.. Pelo menos evita o stress do jogo e a choradeira posterior que só vai servir para aumentar a tiragem do "Lance!".

Ah, um recado para o ataque do Fogão: Calibrem a porra da mira!

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Depois de uma longa ausência, um minuto de estupidez

Você começa a perceber que está ficando velho quendo o assunto do almoço de domingo é sobre remédios.

terça-feira, 11 de março de 2008

Motel a céu aberto (ou suruba no parque)

Leiam a notícia abaixo, que pesquei no Globo.com:

Holanda quer liberar sexo nos parques

Polícia holandesa quer liberar a partir de setembro o sexo em parques públicos. A determinação, que já vale em alguns parques de Amsterdã, está sendo estudada, segundo informações do site "nis.nl".

Nada surpreendente, vindo de um dos países mais liberais do mundo quando o assunto é sexo. Mas, como tudo na nossa curta vida, com limites. Leia mais abaixo:

Um vereador local avisou que haverá regras. Entre elas: o ato não poderá ser feito perto dos playgrounds e outros locais onde haja um grande número de crianças. As camisinhas usadas terão que ser jogadas no lixo mais próximo.As duas ou mais pessoas que estiverem no meio do ato sexual também terão que controlar os barulhos. A determinação é que não atrapalhe a vida dos demais visitantes dos parques.“Por que devemos manter algo que atualmente é impossível de manter?”, afirmou Paul van Grieken, em entrevista para a imprensa local. Ele é o responsável e vereador pelo distrito Oud Zuid, em Amsterdã.Van Grieken, porém, avisou que o sexo terá horário. E só poderá ser feito à noite.

Mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, não obstante:

Por outro lado, os donos de bichinhos domésticos poderão levar multas se andarem com os animais sem coleira. “Uma pesquisa mostrou que isto incomoda bastante aqueles que tomam sol e andar de bicicleta”, disse o vereador.

Vejo diferente... vai que dá na idéia do cachorro de querer participar da suruba no parque? Os fogosos holandeses (e holandesas) não quereriam correr risco o risco de ter um cachorro mais empolgadinho agarrado em suas pernas se esfregando loucamente enquanto dão aquelazinha. Certo, Biscoito?

Notícias inúteis

Homem entra no livro Guiness dos recordes graças a fios de 25 centímetros.

O indiano Radhakant Bajpai entrou no livro Guiness dos Recordes por ter o pêlo de orelha mais comprido do mundo.Os bem tratados fios grisalhos do indiano medem 25 centímetros, dez a mais do que os do recordista anterior.O vendedor de Uttar Pradesh diz que a única expectativa que tem agora é ter a façanha levada a sério.Vaidoso, Bajpai usa um xampu especial e diz que parou de usar anéis e colares, que segundo ele, danificavam as inusitadas madeixas.

Fonte: BBC

Meu Deus! o que vai aparecer agora? O homem com as sombrancelhas mais compridas do mundo? O homem com os cabelos do nariz mais compridos do mundo? O homem com os cabelos dos dedos dos pés mais compridos do mundo?

Já pensou se essa moda pega?

domingo, 9 de março de 2008

Sem comentários...

Isso aqui tá meio pobrinho...
Nada de comentários nem de visualizações.Nenhum elogio... nenhuma crítica...

Já sei!

Vou xingar o Reinaldo Azevedo.

V.E.C.*

Outro dia o DVD da minha noiva, inexplicavelmente, se recusou a funcionar. Depois de algumas tentativas frustradas, e diversos choques elétricos, resolvi levar em uma loja de conserto autorizada. Escolhi uma em Cascadura, próxima à Madureira, onde moro. O local era velho conhecido meu, pois ali fui diversas vezes nos tempos em que cursava o ensino técnico.
Aí que começou a aporrinhação. Coloco o aparelho em cima da banca e peço para um técnico fazer um orçamento. Cinco minutos (!) depois vinha o mesmo com um papel em que vinha escrito:

01 motor
01 leitor
01 fonte

total: R$ 170,00

Cento e setenta reais? O DVD custou duzentos! Que orçamento relâmpago é esse?

Agradeci e fui embora com o aparelho. Resolvi pôr em prática o que aprendi no 2º grau técnico em eletrônica do velho CEFET-RJ. Afinal de contas, é uma vergonha que um técnico em eletrônica, mesmo que não exerça mais a profissão, não saiba consertar um DVD.

Vejamos. Quando qualquer equipamento eletrônico que se recuse a ligar tem 99% de chances de estar com problemas na fonte de alimentação. Abri e verifiquei que a mesma estava com algumas peças danificadas. Para não pairar dúvidas, resolvi trocar todas as peças da fonte. Eureka! Está até hoje funcionando.

Custo total? Dez capacitores eletrolíticos = R$ 8,00

Fiquei tentado em ir na autorizada mostrar para o técnico safado o orçamento do mesmo e a a nota fiscal contando o que gastei de fato - detalhe: a loja onde comprei pertence à assistência técnica autorizada - e dar um belo esculacho na frente de todos, mas fui dissuadido por minha noiva. Mas fica a lição:

FIQUE COM O PÉ ATRÁS QUANDO O ASSUNTO FOR ASSISTÊNCIA TÉCNICA!

*V.E.C. - Vai enganar o cacete!

sábado, 8 de março de 2008

Obrigado por nada

Foram seis meses. No começo, o éden. No fim, o deserto.

Era a mais cobiçada. E a ganhei. Sorte e azar. Você tem que ter muita bala na agulha para manter a mulher que todo mundo quer. Eu tinha. Só não sabia atirar.
Atirei no meu próprio pé. O que era troca de declarações mútuas de amor eterno virou atos sucessivos de cobrança unilateral.

"Quero alguém com aitude!"
"Quero alguém esperto!"
"Quero um homem!"

Homem? Só agora estava começando a conhecer o mundo. Vinte e quatro anos voltado para si e agora tinha uma responsa e tanto nas mãos. Tinha tudo para dar errado. E deu. Com uma mãozinha dos "amigos", que querendo o bem - deles - diziam que não tínhamos nada a ver.

Somente muita maturidade se contraporia de maneira bem-sucedida a tamanha torcida contra. E éramos carentes disso. E algo que tinha tudo para dar certo acabou da pior maneira.

O cara certo. A garota certa. No local errado. Na hora errada.

Foi a merda. Me afastei. Pouco tempo depois ela já estava envolvida com outro cara. Nem tive tempo de digerir direito o fim. Talvez tivesse encontrado nele a atitude que tanto faltava em mim.

Caí no mundo. Fui para longe. Conheci pessoas, pratos, taças.
Voltei um ano depois. Para saber que ela já estava com o "novo" relacionamento moribundo. Mas não mais me interessava. Conheci mundos melhores, me tornei mais exigente. Sabia do que era capaz.

E apareceu outra.Tão exigente quanto eu. Poderia dar certo.
Começou meio insólito. Em uma sala de cinema, assistindo "Batman, o retorno". Mau começo?
O relógio provou que não. Estamos juntos há dois anos , sete meses e dezesseis dias. Casaremos na próxima primavera.

Mas se hoje estou onde estou, foi porque há quatro anos atrás uma moça de bom caráter, porém egoísta e imatura se deixou levar por conselhos de "amigos" e jogou fora tudo de melhor que ofereci a ela.

E por sua - e minha também - imaturidade apenas tenho uma coisa a dizer:

Muito obrigado!

sexta-feira, 7 de março de 2008

3 X 0

Foi o placar do jogo de ontem - Flamengo x Defensor - a favor do segundo. Grave revés para o Fla, que terá que vencer ou vencer o próximo jogo no Maracanã se quiser sonhar com a Libertadores.

O Flamengo tem time. Para ganhar campeonatos estaduais. Não competições internacionais. O mesmo se aplica ao Fluminense.

Mas parece que muitos tricolores e rubro-negros não sabem disso. Ou sabem, mas preferem manter falsas esperanças...

quinta-feira, 6 de março de 2008

Romantismo à moda do Nordeste

"Saudade é um parafuso
que, na rosca quando cai,
só entra se for torcendo
porque batendo não vai.
E, se enferrujar por dentro,
Pode quebrar, mas não sai "

Autor desconhecido

quarta-feira, 5 de março de 2008

Frase do dia

"Experiência é um pente que lhe dão quando você já está careca". Autor desconhecido.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Paz no coração

Ouvindo "O Maxixe". Maxixe sensacional do Grupo Terror dos Facões. Composição de Otávio Dutra, com Arnaldo Dutra no Cavaquinho, Creso de Barros na Flauta e Honório da Silva no violão. Gravação original feita pela Casa Edison em 1913. Restaurada e digitalizada pela gravadora Biscoito Fino. Parte de um trabalho sensacional de resgate dos primórdios de nossa música, com patrocínio do Governo Federal, através da Petrobras.

Digo, com toda a convicção, e por experiência própria, que o Choro é a única Música (maiúscula proposital) capaz de trazer paz ao coração.

Todo brasileiro que se preze deveria ouvir essas gravações pelo menos uma vez na vida. Para que saibam que um dia fizemos música de qualidade. Para que saibam que um dia criamos um estilo próprio, genial e genuíno de música, jamais igualado em ritmo, alegria e musicalidade por nenhum jazz, clássico ou rock. Para que saibam que o choro não se restringiu a Pixinguinha. Para que saibam que existiu o Grupo Terror dos Facões, a Banda do Corpo de Bombeiros, a Banda da Casa Edison, Pedro Galdino, Irineu Batina, Agenor Bens, Pessoal do Bloco, Benedito Lacerda, Dante Santoro, Altamiro Carrilho, Radamés Gnatalli, Ernesto Nazareth, Grupo Carioca, Choro Carioca, Baiano, Eduardo das Neves, Cândido das Neves, Anacleto de Medeiros, Grupo O Passos no Choro, Grupo Chiquinha Gonzaga, Patápio Silva e muitos outros que não me vêem à memória agora.

Muito obrigado, Joaquim Callado e Viriato Figueira da Silva, por fundarem este estilo musical único. Se existe paraíso, com certeza tocam o Choro lá.
Muito obrigado, Sr. Fred Figner, fundador da Casa Edison. Talvez não imaginasse isso na época, apenas estava ganhando dinheiro vendendo disco, mas o senhor não faz idéia da contribuição imensurável que estava dando à história da Música Popular Brasileira e à memória do povo brasileiro como um todo ao registrar tão belas manifestações artísticas.
Muito obrigado Humberto Franceschi, pelo acervo que acumulaste, salvando da destruição ou do ocaso permanente algumas das mais belas composições dos primórdios da nossa MPB, e por torná-lo acessível ao público.
Muito obrigado a todos da Sarapuí e da Biscoito Fino, por tornar possível o acesso a essa obra maravilhosa. Espero ansiosamente novos lançamentos, pois sei que essa é a pontinha do iceberg.
Enfim, obrigado a todos da Petrobras por patrocinar tão belo projeto.

Muito barulho por nada

E, para os fãs de teorias conspiratórias com direito a imperialistas que fazem de tudo para que o Brasil não cresça, uma decepção: Quem roubou os laptops da Petrobras contendo dados dos campos de Tupi e Júpiter não eram espiões a serviço de uma empresa concorrente ou de um governo estrangeiro, e sim um bando de pés-rapados ladrões de galinha.

Já no começo eu estranhei esse roubo. Pra começo de conversa, os campos de Tupi e Júpiter pertencem à Petrobras (e outras duas empresas, em caráter minoritário) e são descobertas provadas. Não haveria justificativa para você obter dados de algo que você não possuirá.

Suspeitaram da Halliburton, por suas ligações com o vice-presidente norte-americano Dick Cheney, e pelo fato do material roubado estar em um container pertencente à mesma. Também não procede, pois a Halliburton é parceira da Petrobras em projetos de prospecção a grandes profundidades e tem acesso a todos esses dados. Se ela se metesse em uma maracutaia desse tipo e fosse pega com a boca na botija, seria o fim. Em uma semana iria à falência, pois empresa nemhuma voltaria a negociar com ela.

Eu pensei que isso fosse ser tramóia planejada aqui dentro mesmo. Mas achei difícil porque, mesmo se uma empresa nacional tivesse os dados, não teria a capacidade financeira para tornar a produção viável comercialmente - além de se expor a um risco de, se descoberta, perder totalmente a credibilidade no setor, com a consequente falência.

Portanto, aquela fala de nosso presidente, dizendo que era "questão de estado" não passou de mera bravata.

Enfim, nosso presidente perdeu mais uma oportunidade maravilhosa de ficar de boca fechada...

PS: Parabéns para a Polícia Federal.

Mulher e carro

Mulher Lada:

Feia de doer, toda quadrada e vive dando problema.

(Lá vem porrada...)

A verdade só de calcinha e crua:

Abaixo vai uma foto de um protesto ocorrido em Sydney, na Austrália, feita por ativistas dos direitos dos animais contra a corrida de touros de Pamplona, na Espanha (a milhares de quilômetros dali).


Fonte: Veja

Uma coisa me chamou a atenção: como são gostosas! (Tudo bem, a vela acesa que tá sentada é meio testuda mas olha o tamanho mínimo da cinturinha).

Até pensei em entrar para um grupo de ativistas pelos direitos dos animais, mas declinei logo, ao pensar em ativistas gordinhas tirando a roupa em protesto contra a caça de baleias...

Tô Rico! Tô Rico!

E o salário mínimo aumentou. Foi de R$ 380 para R$ 412. Segundo o diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Granz Lúcio, "É uma melhora pequena para o trabalhador, porém significativa, porque traz uma dinâmica complementar. Melhora o padrão de consumo das pessoas".

Beleza! Realmente eu percebo uma melhora significativa no meu padrão de consumo. Agora vou poder comer carne uma vez por mês!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Assuntando

Não tem coisa melhor para o seu ego quando seu chefe lhe pede algo com urgência e você diz: já está pronto. Foi o que aconteceu comigo hoje.

***

É curioso quando algumas pessoas, não satisfeitas em mostrar seus argumentos, procuram desqualificar as pessoas quando escrevem algo com o que não concordam.

Percebi isso no blog do Reinaldo Azevedo. Às 05:31 do dia 26/02/08, ele escreveu um post saudando a decisão do Serra de vetar a entrada de estatais no leilão da CESP, com o objetivo, segundo o Estadão, de "garantir o ingresso do capital privado no setor de infra-estrutura e evitar a influência política na gestão das companhias".

Abaixo foi minha ressalva, devidamente publicada:

"Rei, só uma ressalva:

Você diz que "uma estatal dá ao estado e aos partidos que estão no governo um poder que eles jamais deveriam ter".

Mas se uma estatal dá lucro, não acho que seja lógico abrir mão dela tendo o parágrafo acima como argumento. É semelhante a cortar a macieira por causa de algumas maçãs podres.

E vale a pena lembrar que empresas privadas financiam eleições. E cobram a fatura depois. Ou seja, possuem uma interferência política tão forte quanto as estatais. Por exemplo: dois dos maiores financiadores das campanhas presidenciais nas últimas eleições foram bancos privados.

Deixo claro: dinheiro é muito bem vindo - público ou privado. Mas não vejo muita lógica na decisão de Serra, a menos que a CESP esteja operando no vermelho. Está
?"

Para ele, o papel do estado é fornecer segurança - jurídica, econômica e física - educação e emprego - através de políticas econômicas que estimulem a geração do mesmo. Apenas isso. O resto fica na mão da iniciativa privada.

Nada tenho contra dinheiro privado. É muito bem vindo, se gerar emprego. Só acho que se uma estatal é bem gerida e dá lucro, acho meio fora de lógica vendê-la, pelas razões que citei acima. E procurei mostrar que influência política não é apenas privilégio de estatais.

Bastou para alguns leitores mandarem comentários com esse (que se apresentou como "anônimo"):

Ai... que coisa...

Tem gente comentando aqui que
"estatal que dá lucro não devia ser privatizada..."

Eu, no caso..

Puxa vida... lucro e estatal não combinam, pois a ingerência política nas empresas come todo o ganho de produtividade...

Combinam sim. E você confirmará isso logo abaixo...

A Petrobrás dá lucro.... dá sim senhor.... O Banco do Brasil dá lucro... dá sim senhor... e o palhaço o que é???

É ladrão de mulher!

Essas empresas dão lucro porque têm que dar senão estarão na contra-mão da lógica do mundo...
*) Petróleo com preços perto do topo histórico...


Antes disso a Petrobrás dava lucro. Graças às mudanças feitas por FHC. E não precisou privatizar.

**) Bancos...que dizer dos bancos... ainda me lembro de petistas demonizarem os bancos pelos lucros abusivos... nuna mais se pronunciaram...

Falou muito e não disse nada. Quem cala consente. E os petistas demonizam, não eu. Embora ache um absurdo a diferença entre a selic e as taxas de juros reais praticadas pelo mercado. E eu disse que as empresas privadas também têm influência política. E mostrei os bancos como exemplo. O leitor contestou isso? NÃO.

Só falta reestatizarem a Vale e outras empresas do setor porque... dão lucro!!!

E quem falou em reestatização? Ficou louco?

Tio Rei... prá esses aí.... só desenhando mesmo...

É... mas parece que nem desenhando você vai entender...

Respondeu também um - de nome Claudino:

Começo concordando com o Anônimo da 8:56.

Quanto à "ressalva" do Calango, meu, numa boa!, por que vc não fez a analogia com insetos, ao invés de com maçãs podres? Afinal, é disso que os lagartos mais entendem e para o que têm melhor afiadas suas linguas. Por que não comparar assim, ó: "Faz sentido os órgãos sanitários do governo pulverizarem pela cidade inseticida para matar os Aedes Egyptis contaminados com o virus da dengue, quando também podem matar aqueles que não estão contaminados, contadinhos?"

E olha, calango, ainda assim a resposta seria: SIIIIMMMMM! para o caso dos mosquitos da dengue, contaminados e não-contaminados, e para o caso das estatais, lucrativas e não-lucrativas: em ambos os casos corta-se o mal pela raiz.


SIIIIMMMMM!!!! Para mim não é resposta. Te apresentei argumentos, se contrapunha a eles. Não venha se valer de analogias baratas - como eu fiz, mas seguida de argumento.

A minha resposta é NÃÃÃÃÃÃÃO! Simplesmente porque não segue a lógica. Algum conselho acionista de uma empresa privada abrirá mão de seus lucros por causa do gerente que rouba? NÃÃÃÃÃÃO!!! No máximo demitirá o gerente. Por que o estado deveria abrir mão de uma fonte de receitas, visando evitar "ingerência política"?

Aí me vem outro, também atendendo por "anônimo":

Álguns comentários vieram com a ladainha de que não se deve privatizar empresas estatais que dão lucro, é o velho lero antiprivativista. O dificil vai ser voces sustentarem com argumentos em que a privatização pode ser prejudicial ao País? Em que o controle estatal é melhor que o privado?

Em primeiro lugar, eu não disse em momento nenhum que a privatização foi prejudicial ao Brasil. Fui a favor de muitas delas, como as das teles e as do setor de transmissão e distribuição de energia.

Agora eu te lanço a pergunta: em que o controle privado é melhor que o estatal?
A questão que levantei foi de lógica, e não de ideologia.

Odeio estatocracia, assim como odeio estatofobia. Nada extremado pode fazer bem.

E para os que acham que estatal é sinônimo de ineficiência e prejuízo, pasmem: a maior empresa da Noruega é uma estatal - STATOIL - do setor petrolífero presente em mais de 40 países.

Imaginem o choque que deve ser para comentaristas como esses acima mencionados um país institucionalmente avançado - anos-luz à frente do Brasil - como a Noruega possuir uma estatal...

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Assuntando

Nessa sexta estréia "Sicko" - "S.O.S. saúde" no Brasil, não entendo essa mania tupiniquim de mudar o nome original dos títulos dos filmes - o novo documentário de Michael Moore que exporá as mazelas do sistema público hospitalar norte-americano.

Desnecessário dizer que mesmo antes de chegar aqui o filme já foi execrado pelos conservadores brasileiros - pra ser mais preciso, Reinaldo Azevedo escreveu em seu blog um post às 06:53 do dia 31/01/2008 em que diz que não viu o filme, e afirma que gente intelectualmente séria não dá bola para Moore. Além de tachá-lo "o perfeito idiota norte-americano" - bem ao seu estilo ácido.

Pessoalmente, se for como Fahrenheit 9-11, já antecipo: vai ser uma merda. Vi Fahrenheit 9-11 no DVD e até meu pai, que é um analfabeto político, afirmou que esperava um documentário bombástico com alguma revelação surpreendente sobre os ataques terroristas de 11/9/2001, e na verdade o que viu foi apenas um filminho que só falava mal de Bush.

***

Notas ao vento:

Como se não bastasse na minha empresa ter o ASPONE, o CHEPONE, o COOPONE, o GEPONE, o GEGEPONE, o GEXEPONE, o DIPONE e o PREPONE, agora inventaram um novo cargo: o ESPONE - ESpecialista em POrra NEnhuma!

Haja REPONE pra juntar essa gente toda!

***

Hoje caí na bobagem de dar uma de inglês no chá das cinco (na verdade eram sete da manhã) e quis fazer chá com leite de uma forma menos ortodoxa - colocando o sachê de chá cítrico diretamente no leite. Além de virar motivo de chacota - eu fiz isso na copa da minha empresa - a solução ortodoxa não funcionou. Ou seja: fiz uma combinação horrível e ainda paguei o maior mico...

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Não tentem fazer isso em casa

Acordei hoje à 8:30 e fui procurar um toddyinho para meu café da manhã.

Segundo minha nutricionista - uma loiraça de seu metro e setenta e lábios grossos, enfim, a nutricionista que todo homem queria ter - isso póóóóde.

Só isso e um pãozinho com uma camada de manteiga com uma espessura de no máximo dez micras. A vida em dieta é uma merda! É o preço pela busca do corpo perfeito.

Não tem nem uma coisa nem outra. As traças que habitam minha casa - são mais quatro além de mim - se encarregaram do serviço. Enfim restou uma caixinha de Ades sabor laranja.

Que gosto horrível!

Para ver se dava um pouco mais de sabor, misturei com um legítimo Miolo Reserva da Serra Cabernet Sauvignon/Merlot safra 2005.

Ficou pior ainda!

O jeito foi beber tudo rapidinho pra não sentir o gosto...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Máximas do mundo corporativo

"Cresce na empresa não aquele que fode todo mundo, e sim aquele que fode os caras certos."

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O homem que, às vezes, copiava

Não sou de copiar arquivos de blogs alheios. Sou muito inteligente para isso. Ah, e humilde também.

Mas esse texto extraído do blog da Cora Ronái é interessante pelo fato de Cora não ser alinhada com o PT. Portanto, ninguém poderá acusá-la de defendê-lo. Ela apenas atenta para o lógico: Veja está fazendo com Luís Nassif o mesmo que Franklin Martins e Paulo Henrique Amorim fizeram com Mainardi. o que tornam minhas as palavaras dela: é péssimo.

Nassif vs. Veja

Como a internet inteira já sabe, Luiz Nassif está fazendo uma série de acusações contra a Veja. Não sei o que a motiva; afinal, como ele mesmo diz a meu respeito, esses "são temas intrincados, e ela não domina essa área".

É verdade.

O Nassif está metido em jornalismo de cachorro grande e eu, como é público e notório, só escrevo sobre gato.

Ele há de ter suas razões, imperceptíveis à minha ingenuidade.

De modo geral, discordo da sua posição política, o que não há de ser surpresa para quem lê o que eu escrevo e lê o que ele escreve, se é que há quem se inclua em categorias tão díspares.

Mas isso é secundário, como é secundário o fato de, pessoalmente, nós termos respeito e simpatia um pelo outro. O que importa, aqui, é que a Veja decidiu processá-lo.

Péssima decisão!

A imprensa está vivendo um momento delicado, com processos de sobra movidos por terceiros. Para ficar apenas no exemplo mais recente, aí está a igreja universal do reino de deus disparando uma série de processos sobre a Elvira Lobato, através dos seus fiéis, no nítido intuito de silenciá-la.

Temos, além disso, um governo hostil ao "contraditório" (como eles gostam de dizer), louco para cercear a liberdade de imprensa.

Enfim: tudo o que não precisamos, agora, é que jornalistas fiquem se processando uns aos outros.

Já nem falo da trabalheira paralisante que dá um processo no Brasil. A parte econômica é pior. Se alguém quiser me mandar pra cadeia por alguma coisa que eu tenha escrito ou venha a escrever, vou me aborrecer, mas não vou entrar em desespero; ora, se até o Pimenta Neves continua solto...

Mas, vá lá, digamos que a Justiça seja dura comigo, que não tenho as costas quentes daquele assassino, e me mande mesmo pro xilindró. Eu vou. Alguém fica aqui em casa tomando conta dos gatos, o tempo passa, um dia eu saio e, podem apostar, volto a escrever o que quer que tenha me mandado pra lá em primeiro lugar.

Se em vez disso, porém, alguém me pedir indenização, estou frita, porque, à exceção de vender o apartamento, que é o único bem que possuo, não tenho de onde tirar dinheiro. E aí é bastante muito provável que eu meta a viola no saco, porque, entre outras coisas, com esse joelho quebrado fica difícil vender chiclete no sinal.

A lei, em suma, pode ser uma das formas de censura mais eficazes.

Por isso sou tão radicalmente contra qualquer processo movido contra jornalistas.

A Veja alega que responder à altura seria dar muita bola ao Nassif. Não dá pra negar que é um bom argumento,tanto que eu mesma o utilizo na área de comentários do blog. Pensando desapaixonadamente, se é que isso é possível no clima de Fla x Flu que domina o caso, por que é que, nas suas páginas, você vai abrir espaço para quem diz as piores coisas a seu respeito?

O Nassif -- que, ao contrário de mim, não tem nada de ingênuo -- não comprou briga com a Veja achando que ia ficar por isso mesmo. A essa altura, marcou pontos com todo mundo que ama o governo e/ou odeia a Veja e, de quebra, se pôs no centro das atenções dos colegas.

Não é pouca coisa.

Também pôs a Veja numa situação delicada. Ou ela rebate as acusações e, conseqüentemente, amplia a sua voz, ou o processa, dando chance a seus detratores de apontá-la como censora.

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

Tenho certeza que, por trás dissso tudo, há muito mais coisa do que sonha a minha ingênua filosofia; esses são temas intrincados, e eu não domino essa área.

Mas, independentemente de qualquer coisa que me escape, sustento: jornalista não processa jornalista.

Essa frase é, aliás, do meu amigo Diogo Mainardi, que tem sido um dos alvos do Nassif (que, por sua vez, já foi alvo do Diogo).

Em suma: quem é mídia ou tem espaço na mídia, e se sentir ofendido com o que foi escrito a seu respeito, que vá pro computador e responda na mesma moeda.

Processar jornalista é coisa pra igreja universal do reino de deus ou pro PT (pensando bem, dá na mesma).

E pronto, chega, vou arrumar livros.

Estou cansada desse mundo sórdido em que estamos vivendo.

Frase do dia

"O argumento pela intimidação é uma confissão de impotência intelectual". Ayn Rand

Muita calma nessa hora

Estão acompanhando o imbróglio Veja x Luís Nassif? Eu tô!

Nassif comprou uma briga das boas com o maior semanário do país e a quarta (ou quinta? ou sexta?) maior revista do mundo. Das duas uma: ou ele é um louco inconseqüente ou sabe de muita coisa que não sabemos.

Quanto à Veja, não vou falar sobre algo que não domino. Já teve uma assinatura em minha casa, mas eu tinha 17, 18 anos - dez anos atrás, como estou velho! - e não tinha muito discernimento. Dizem que ela é maniqueísta, tendenciosa, manipuladora, esclarecedora, sensacional, um patrimônio.

Seja o que for, sua credibilidade como meio de comunicação de massa está sendo posta à prova. Nassif está causando um barulho e tanto ao contar as supostas relações promíscuas entre a alta cúpula da Veja e o banqueiro Daniel Dantas. Em resposta, a Abril entrou com uma série de processos contra o economista. Um anti-clímax, considerando que Reinaldo Azevedo - o blogueiro oficial da Veja, católico, ácido, independente (?), polêmico - ao ser questionado de seu silêncio sobre os ataques de Nassif à revista, afirmou que o "silêncio é o prenúncio da tempestade".

Pessoalmente, eu esperava uma tempestade jornalística. Algum dossiê envolvendo Nassif, alguma informação adicional sobre Daniel Dantas ou a Br Telecom, alguma denúncia de recebimento de propina por parte de altas autoridades do governo. Não uma série de processos.

Ao ser questionado sobre a resposta da Veja, Reinaldo Azevedo responde em seu blog às 21:47 do dia 15/02/2008:

Boa parte é provocação estúpida, mas até há alguns que falam de boa fé: “Vocês não vão responder a isso ou àquilo?”

Tudo será tratado nos foros adequados. E reitero: cada coisa a seu tempo, para que o conjunto não acabe transformando canalhas em vítimas. Vocês sabem: o vitimismo é um dos refúgios da bandidagem. “Ah, matei porque tive infância difícil”. “Ah, sou terrorista porque sou um resistente político”. “Ah, sou caloteiro porque sou muito esforçado”. “Ah, estão me processando só porque sou pequenino”. "Ah, achaquei porque quero o bem do Brasil".
Daqui a pouco, vai ter gente cobrando que a gente responda, sei lá, às críticas que Marcola faz ao sistema penal brasileiro, não é? Daqui a pouco, alguém vai dizer: “Você viu o que Fernandinho Beira-Mar disse? Não vai responder?”

Com adversarios respeitáveis, é possível haver interlocução, mesmo que dura. Bandidos têm de ser tratados como bandidos.

Com lei e método.


Bonito, mas também não respondeu muito... talvez esteja, como eu, esperando os resultados dos processos para poder atacar (ou defender). Cautela e canja de galinha não faz mal a ninguém.

De qualquer forma, a série de reportagens sobre a Veja no blog do Luís Nassif e a resposta de Veja proporciona uma deliciosa leitura e uma sensação de suspense digna de um filme de Hitchcock. Nassif estrá, de fato, mostrando os expedientes sujos a que uma revista pode recorrer em troca de dinheiro e influência? Será um louco inconsequente desafiando a maior revista do país em busaca de fama, vingança - ou os dois? Estará agindo a mando de terceiros?

E a Veja? É realmente esse baluarte de moralidade que Reinaldo Azevedo tanto afirma? É uma inescrupulosa, capaz de atos abomináveis como "assassinato de reputação" para manter seus lucro, influência e status? É capaz de usar sua influência para livrar a cara de homens que agem à margem da lei, em troca de dinheiro? Estará, também, agindo a mando de terceiros?

Uma coisa é fato: qualquer lado que ganhar sairá extremamante fortalecido, e qualquer lado que perder levará um tombo sensacional e será impiedosamente massacrado.

A Justiça brasileira dirá. Vamos aguardar.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Acerte seu relógio (ou #$@%@$#%!)

Como se não bastasse ter que trabalhar à noite no sábado, ainda é fim de horário de verão. Sabe o que isso significa? ficar cercado de números e gráficos durante uma hora além das oito do turno!

Bem pelo menos ganho uma hora extra...

Lembrando um velho amigo

Orlando, ou melhor, Landão,

Copiei isso do teu blog - sim, ele ainda existe, embora você não dê o ar da graça por lá. Isso se você ainda consegue acessar seu blog, pois eu não consegui mais acessar o meu.
De qualquer maneira, achei esse poema um barato, até porque amo velocidade e tudo relacionado a ela. Gosto quando as coisas passam por mim formando meros borrões. Aliás isso é um resumo da minha vida: tudo passando em alta velocidade e algumas vezes parando no acostamento para admirar a paisagem.

Nelson Rodrigues dizia:

"Acho a velocidade um prazer de cretinos. Ainda conservo o deleite dos bondes que não chegam nunca!"

Sou um cretino, então...

Vamos lá:

O imaculado vento que me sopra
(Orlando Melo)

Hoje escrevi umas coisinhas bobas.
Peguei palavras tolas e joguei naquele caderno que só abro quando lembro de você.
Tudo tá muito lento por aqui, lento e arrastado, como a vida em dias de janeiro.
Peguei emprestado uma moto e corri feito um louco pelas ruas da cidade, o imaculado vento limpava minha alma nua que maculada estava pela tua.
Não sei o que pensei, ou até mesmo se pensei, pois se pensei o vento carregou junto consigo na lembraça dos traços do meu amor.
Obrigado imaculado que soprou o meu amor, resquícios aturdidos de alguém que não me amou.

Tudo isso me faz lembrar que estou devendo uma reedição dos velhos tempos dos rodízios de pizza em Vila Valqueire, quando quatro moleques duros de subúrbio - incluo nisso o Vaguinho e o Felipe - ficavam falando merda, fazendo vergonha, tirando sarro da cara do garçom que tinha jeito de viado, ou ficavam competindo - Vaguinho e Felipe - para ver quem comia mais pizza.

Te ligarei ainda essa semana. Grande abraço de urso, meu velho!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Moderno x Contemporâneo (ou "tentando dar uma de crítico de arquitetura")

Qual a diferença entre o moderno e o contemporâneo na arquitetura?

Não é algo tão simples de responder como a diferença entre o charme e o funk, mas vamos tentar.

O "moderno" buscou romper com dogmas arquitetônicos baseado no classicismo, sendo reflexo de uma sociedade que se transformava cada vez mais rapidamente com o avanço tecnológico que permitiu o advento da produção em série e a difusão em massa de novos materiais - concreto e aço, principalmente - e técnicas de construção, assim como o aperfeiçoamento daquilo que já existia. Pode-se somar a isso o desgaste do ecletismo e de seus ornamentos - Adolf Loos sintetizou isso em "Ornamento e crime" - e a necessidade do desenvolvimento de novos métodos de habitabilidade para uma barulhenta e cada vez mais crescente classe média. Não havia mais espaço (e recursos) para a construção de palacetes com volutas, colunelas, frontões, abóbadas, etc. e tal. A funcionalidade e o conforto deveria se sobrepor à ornamentação. Tudo na casa deveria ter uma função. A casa seria, nas palavras de Le Corbusier, a "máquina de morar".

Meio teórico né? Pois bem, essa é a evidência de seu desgaste - poder ser teorizado.

Agora, o que pode ser considerado o "contemporâneo"?

Pode-se considerar uma reação ao desgaste do "moderno"? Sim. Mas há construções contemporâneas que com aparência modernista. E vale a pena lembrar que os cinco pontos de Le Corbusier ainda são utilizados até hoje.

Me asrrisco a dizer que o contemporâneo se volta para o passado - e isso inclui o Modernismo - através de novas linguagense com a tecnologia atual, assim como também se volta para o futuro - com todos os riscos e consequências de se caminhar rumo ao desconhecido.

E onde o Brasil se insere nisso?

Com exceções, no geral estamos em dois lugares: ou nas décadas de 50 e 60 - a blindagem criada pela mídia em torno de Niemeyer evidencia isso - ou no interior de uma casa européia ou norte-americana - basta desfolhar uma das inúmeras revistas de decoração hoje disponíveis.

Fizemos história durante o período modernista. O Brasil estava na vanguarda da arquitetura, através das obras de Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, Affonso Reidy, Lina Bo Bardi, entre muitos outros. Niemeyer, por exemplo, é um extremamente bem-sucedido exemplo da antropofagia de Mário de Andrade aplicada na arquitetura - pegar o que vem de fora e transformar para nossa realidade. E isso com um dos mais simples elementos - a curva.

Ponto para Niemeyer? Sim, evidente. Porém, infelizmente hoje está sendo a bola de ferro (ou melhor, de concreto) presa ao nosso calcanhar. O velhinho é idolatrado a ponto de não ser admitida nehuma crítica contra o mesmo. Isso não é exclusividade dele - fazemos o mesmo com Senna e com Lula. Grande culpa possuem os meios de comunicação por isso. Mas a maior culpa é nossa mesmo. Pois essa busca pelo que se orgulhar nós mesmo fazemos. Isso nos impede de vermos com nossos próprios olhos e pensarmos com nossas próprias mentes. A mídia apenas se aproveita disso - e de maneira magistral. Acrescenta-se a isso a total falta de incentivo por parte do governo em novas soluções habitacionais. Na maioria das vezes isso é feito pelos institutos de pesquisa públicos e privados - que não possuem capital para o lançamento desses tipos de programas em larga escala.

O resultado podemos ver lá fora. Atualmente, poucos arquitetos conseguem fazer a antropofagia na arquitetura. Uma quantidade menor ainda consegue fazer uma arquitetura utilizando exclusivamente técnicas tradicionais com uma linguagem contemporânea. Muitos se contentam em ler a Casa Cláudia, a Casa Vogue, a Espaço D, a Kaza, entre outras.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Dando volta para chegar a lugar nenhum

Preparem-se para me aturar dando uma de erudito...

O que é arte?

Arte era o que eu fazia na infânica. Mamãe que o diga... Não há como definir arte no sentido estrito da palavra. Algo belo aos nossos olhos pode ser ou não considerado arte, assim como algo que gere repulsa. Pode-se considerar arte tido aquilo que mexe com os sentidos, seja de maneira agradável ou impactante. Mas ainda assim é inconclusivo, pois algo que pode parecer agradável à primeira vista pode resultar monótono, assim como algo inicialmente repulsivo pode resultar atraente.
Ou seja: posso escrever um post quilométrico apenas para concluir que aquilo que convencionamos arte provém de uma experiência individual chamada fruição.

E ainda tem gente que escreve calhamaços apenas para chegar a essa conclusão...